As melhores opções para uma nova máquina fotográfica – Edição Natal 2019

O Natal está a chegar e há muito que gostavas de comprar uma máquina fotográfica nova… O nosso conselho é: segue em frente! O mercado das máquinas fotográficas nunca esteve tão bom, quer em qualidade, quer na variedade das ofertas disponíveis. Contudo, e porque existem máquinas para todos os preços e feitios, preparamos este guia para te ajudar a comprar a tua nova (ou até a primeira) máquina fotográfica.

Como sabes, quando decidimos iniciar este projeto de percorrer a Estrada Nacional 2, o intuito foi de a fotografar. É a nossa paixão, é aquilo que mais gostamos de fazer. Quando nos pedem para falar de máquinas fotográficas, ao fim de meia hora têm de nos mandar calar, caso contrário ficamos até à noite…

Porque todos nós temos de em primeiro lugar decidir quanto estamos dispostos a gastar, preparamos este guia dividindo as melhores opções do mercado por escalão de preços. Contudo há que desfazer o mito de que é preciso gastar muito dinheiro numa máquina fotográfica para se conseguir tirar boas fotografias. Uma máquina com um custo mais acessível pode tirar excelentes fotos se utilizada correctamente e, de igual forma, uma máquina de vários milhares de Euros pode fazer fotos de péssima qualidade se não soubermos tirar proveito das suas potencialidades.

Fuji X-T2, Fuji X-E3, Olympus E-M1 e Olympus E-M5II – Estas são algumas das câmaras que utilizamos para fotografar a Estrada Nacional 2

Vamos então começar por descrever de uma forma sucinta os principais tipos de máquinas mais amplamente disponíveis no mercado:

Compactas
As câmaras compactas são aquelas que, como o nome indica, são pequenas o suficiente para caber num bolso de casaco. Devido à melhoria significativa das câmaras dos telemóveis, nos últimos anos o mercado das compactas quase desapareceu, sobrevivendo apenas os modelos mais caros que, apesar do tamanho, muitas vezes têm funções dignas de uma câmara bastante avançada.

Porque a objetiva está fixa à máquina, ao tomarmos a decisão de comprar uma compacta sabemos à partida que não será possível no futuro substitui-la por outra com diferentes especificidades, tais como uma objetiva ultra grande-angular para fotografar paisagens mais amplas, ou uma tele-zoom para obter mais alcance.

  • Compra uma compacta se: Quiseres uma solução “tudo-em-um”, mais económica e facilmente transportável.
  • Não compres uma compacta se: No futuro pretendes dedicar-te mais seriamente à fotografia, evoluindo para objetivas melhores.
Algumas das fotografias do Maurício foram tiradas com telemóvel. Consegues notar a diferença? Nós também não!

DSLR (Digital Single Lens Reflex)
Durante quase 20 anos estas máquinas dominaram o mercado dos equipamentos avançados e profissionais. São uma evolução das SLR (Single Lens Reflex) da era analógica, substituindo o rolo por um sensor.

Em relação às compactas estas câmaras têm imensas vantagens como: melhor qualidade de imagem devido ao sensor (muito) maior, a possibilidade de mudar a objetiva por uma que se adapte às nossas necessidades, maior robustez e ergonomia.

Na linguagem comum são muitas vezes apelidadas de máquinas profissionais porque, de facto, durante muitos anos foram a opção dos profissionais, fossem eles foto-jornalistas, fotógrafos de moda, desporto ou de retrato.

Contudo, e embora sejam ainda o tipo de câmara mais divulgado no mercado, as DSLR têm os dias contados. Gradualmente a tecnologia mirrorless (sem espelho) tem vindo a registar importantes evoluções tecnológicas e será, na nossa opinião, a que prevalecerá no mercado. Portanto não conseguimos de forma alguma recomendar a compra de uma DSLR a menos que já possuas as objetivas e necessites de uma máquina para as utilizar.

  • Compra uma DSLR se: Já tiveres um conjunto de (boas) objetivas que queiras reutilizar numa máquina mais recente.
  • Não compres uma compacta se: Pretenderes investir num novo sistema a partir do zero, adequado às evoluções tecnológicas do futuro.

Mirrorless
Embora ainda não se encontre tão amplamente divulgada, podemos afirmar que o futuro das câmaras fotográficas passa pelo sistema mirrorless (sem espelho). Após anos de domínio das câmaras do tipo DSLR, as marcas foram gradualmente evoluindo para este tipo de tecnologia. Panasonic, Olympus, Sony e Fuji foram as primeiras. Curiosamente, os dois maiores fabricantes do mercado, Canon e Nikon, durante anos hesitaram em dar esse passo e só muito recentemente o fizeram, estando por isso bastante atrás das restantes em termos de oferta de modelos de câmaras e, ainda mais importante, de objetivas. Mas o facto de o terem feito é o sinal evidente de que a tecnologia mirrorless é o futuro. Neste momento investir num sistema DSLR é entrar num beco sem saída, e por isso neste artigo nenhuma DSLR conseguiu ocupar um lugar nas câmaras por nós recomendadas.

Embora ambos tivéssemos sido utilizadores de DSLR no passado, nós os dois utilizamos câmaras mirrorless já há vários anos, sendo aquelas que sem dúvida aconselhamos a toda a gente. São máquinas tecnologicamente avançadas, existem opções para todos os bolsos e permitem também trocar de objetivas sempre que necessário.

Sony A7II, Olympus E-M5 II e Fuji X-E3: Algumas das câmaras do Hugo. Uma chegava? Chegava… mas não era a mesma coisa 🙂

Feita esta introdução e passando agora para a parte que realmente te interessa, nesta nossa listagem de máquinas recomendadas vamos ter em conta factores como:

  • Qualidade de imagem;
  • Disponibilidade no mercado de objetivas compatíveis;
  • Robustez e fiabilidade;
  • Tamanho e peso;
  • Facilidade de utilização.

Menos de 500€
Embora 500€ seja muito dinheiro, a verdade é que abaixo deste valor fica difícil encontrar máquinas que nós consigamos dizer com toda a certeza que sejam um salto significativo em relação ao telemóvel que provavelmente tens estado a utilizar para fazer todas as tuas fotografias de viagem. Mas vamos aqui escolher 3 opções de boas máquinas que poderão ser as tuas companheiras de viagem por vários anos:

Sony RX100 III
Trata-se de uma compacta mas com um sensor maior do que habitualmente se encontra neste tipo de câmaras, por isso a qualidade de imagem está assegurada. E embora este modelo em particular (a versão III da série RX100) já tenha sido descontinuado pelo fabricante, é possível ainda encontrá-lo em diversas lojas por preços que rondam os 500€. Note-se que quando foi lançada o preço rondava os 800€, por isso desengane-se quem julgar esta pequena máquina pelo seu tamanho, pois quer para fotografia quer para vídeo possui imensas funções avançadas. Como nota de destaque gostaríamos de referir a sua objectiva brilhante com uma abertura máxima que varia entre f/1.8 e f/2.8, ideal para fotografar à noite e em espaços mal iluminados.

Lumix TZ100
Pertencendo ao fabricante japonês Panasonic, a série Lumix possui uma vasta gama de máquinas que vão desde as mais básicas até às mais avançadas. A opção que aqui recomendamos é uma compacta, mas ao contrário do modelo Sony referido anteriormente, que aposta numa objectiva mais luminosa, esta Lumix faz uma abordagem diferente pois possui um poderoso zoom de 10x que lhe permite estar a fotografar uma paisagem e no instante a seguir ampliar um detalhe lá ao longe. Como contrapartida, a objetiva é bastante menos luminosa, pelo que necessitarás sempre de bastante luz ambiente.

Olympus OM-D E-M10 II
Com um estilo vintage fazendo lembrar as antigas máquinas de rolo, esta Olympus é uma excelente porta de entrada para o sistema de objetivas intermináveis do tipo Micro 4/3, ao qual aderiram a Olympus, a Panasonic e vários outros fabricantes.

Embora a E-M10II pertença à gama de entrada do sistema mirrorless OM-D da Olympus, possui muitas das funções avançadas das suas irmãs mais velhas e uma excelente qualidade de imagem, tudo isso numa máquina pequena mas cheia de estilo.

Quanto às objetivas, a que vem fornecida de série não é especialmente brilhante, mas a vantagem nestes sistemas mirrorless é a possibilidade de evolução que permitem. No futuro e à medida que os teus conhecimentos de fotografia forem crescendo, encontrarás dezenas de objetivas à escolha e uma delas será certamente adequada ao estilo de fotografia que mais gostas de fazer.

Entre 500€ e 1.000€
Com um orçamento de 500 a 1.000€ já é possível entrar com confiança no “mundo” das câmaras de objetivas intermutáveis, o que por outras palavras quer dizer que é possível com uma mesma câmara (corpo da máquina) poder utilizar várias objetivas alternadamente, de acordo com as nossas necessidades específicas. Desde objetivas grande-angular para fotografar paisagens e viagens, até teleobjetivas para fotografar retratos, desporto, ou simplesmente ampliar um determinado detalhe que fica mais afastado.

Normalmente estas máquinas vêm equipadas com uma objectiva designada de “kit” e que serve para uma utilização comum, quotidiana. É perfeitamente possível fotografar viagens com as objetivas de kit e obter bons resultados. Mas à medida que os teus conhecimentos de fotografia forem evoluindo e a necessidade de uma (ou mais) objetivas extra for aparecendo, é possível fazer essa evolução mantendo o mesmo corpo da máquina. Trata-se portanto de um investimento, algo para durar e providenciar bastantes anos de divertimento e captura de bons momentos.

Olympus OM-D E-M5 II
Muito semelhante à E-M10 II referida anteriormente, a E-M5II já pertence à gama semi-profissional da Olympus. Embora o sensor seja semelhante, com qualidade de imagem equivalente, esta câmara possui funções avançadas não existentes no modelo mais barato. Tem ainda um corpo feito integralmente de uma liga metálica bastante robusta e é resistente às intempéries, ou seja, se for acoplada uma objetiva com o mesmo grau de resistência, é possível com toda a segurança fotografar debaixo de chuva, pó, frio, calor e todos os ambientes agressivos que deixariam qualquer outra máquina fora de combate.

A título de curiosidade, nós utilizamos esta câmara e recomendamos vivamente. Destas, não temos uma… temos duas! 😉

Fujifilm X-E3
A X-E3 é uma das câmaras mais interessantes da Fuji, porque alia um corpo bastante compacto e leve com um sensor capaz de produzir imagens de altíssima qualidade. Se há coisa que a Fuji faz bem é produzir imagens com cores agradáveis, saturadas, vívidas. Se queres uma boa companheira de viagem se ter de gastar muito dinheiro, é esta que recomendamos. E sabemos do que falamos, pois temos… duas. Uma para cada um!

Não possui a resistência da Olympus aos elementos atmosféricos, mas em mais de 1 ano de utilização, até agora também não tivemos qualquer problema com ela.

Sony A6300
Com um sistema de autofoco bastante avançado e uma qualidade de imagem entre as melhores do segmento, esta máquina pode ser a porta de entrada num dos sistemas de câmaras mirrorless mais evoluídos do mercado, o E-Mount system da Sony. A objetiva de kit não é das melhores mas também não desilude. E no futuro se pretenderes evoluir dentro deste sistema tens à disposição uma vasta gama de objetivas e alta qualidade da própria Sony, mas também da Zeiss e Sigma.

Lumix GX9
A Lumix (marca da Panasonic para câmaras digitais) tem vários modelos para esta gama de preços. Escolhemos a GX9 não só pela excelente relação qualidade/preço, mas também porque num pequeno corpo que cabe em qualquer saco ou mochila, a marca conseguiu meter um concentrado de tecnologia com funções avançadas tanto para fotografia como para vídeo.

Tem ainda como vantagem a característica de partilhar o mesmo encaixe de objetiva da Olympus,  a norma M4/3. Ou seja, nos corpos da Lumix podem usar objetivas Olympus e vice-versa.

Entre 1.000€ e 1.500€
Nesta gama de preços temos margem para podermos fazer uma de duas opções:

  1. Apostar num corpo de gama média/alta, possibilitando no futuro evoluir com aquisição de objetivas de melhor qualidade para substituir as de kit;
  2. Adquirir um corpo de gama média, mas já com uma objetiva um pouco melhor que a de kit.

Olympus OM-D E-M5 II + Olympus 12-40mm f/2.8 Pro
A roçar já o limite dos 1.500€ é possível comprar a Olympus E-M5 II, já referida atrás, mas agora com a objetiva 12-40mm f/2.8 Pro. Trata-se de uma objetiva zoom bastante brilhante e, como o nome indica, pertencente à gama profissional da Olympus. Com este conjunto podes fotografar debaixo de uma intempérie ou no deserto do Sahara sem qualquer preocupação.

Fujifilm X-T30 + Fujifilm 18-55mm f/2-8~4
Equipada com o sensor mais recente da Fuji, esta X-T30 oferece uma boa ergonomia e uma série de controlos manuais num corpo bastante compacto e bem construído. A objetiva oferece uma qualidade de imagem bastante interessante para o preço. Se vires as imagens do Maurício, fica a saber que mais de metade foram tiradas com esta competente objetiva 18-55mm f/2.8~4.

Lumix G90 + Lumix G-Vario 12-60mm f/3.5~5.6
Este é um daqueles casos em que se optou por um corpo mais avançado e que permita uma evolução no futuro para objetivas de melhor qualidade. Não se podendo dizer que seja má, esta 12-60mm da Lumix está bastante abaixo da 12-40mm Pro da Olympus. Irá servir-te bem até que chegue o momento em que, mantendo o corpo desta excelente G90, possas adquirir uma objetiva melhor.

Mais de 1.500€
Bem… se pretendes gastar mais de 1.500€ numa máquina fotográfica (e acredita que não é difícil de ultrapassar este valor 😊) provavelmente já és um utilizador experiente e este guia não te vem dizer nada que não saibas. Em todo o caso, ficam as nossas recomendações.

Opção económica: Olympus OM-D E-M1 II + Olympus 12-40mm f/2.8 Pro
Com um preço a rondar os 1.800 a 2.000€, este conjunto mantém a famosa objetiva Olympus 12-40mm f/2.8 Pro da qual falamos lá atrás, mas agora com a E-M1 II, um corpo da gama profissional da Olympus e que possui o melhor sistema de estabilização do mercado. E quando dizemos “o melhor” não o fazemos de ânimo leve, pois é apenas igualado pela soberba e bastante mais cara E-M1X, também da Olympus.

Opção equilibrada: Fujifilm X-T3 + Fujifilm 16-55mm f/2.8
Dependendo das lojas, este conjunto poderá ser comprado por um valor a rondar os 2.300€ e é uma das opções mais equilibradas do mercado em termos de relação preço/qualidade tendo em conta a quantidade de tecnologia incluída. Com uma qualidade de imagem que rivaliza com opções bem mais caras, a X-T3 é também à prova de intempéries. Juntando o fantástico zoom 16-55mm f/2.8, terás aqui um equipamento bastante versátil e capaz de se manter actualizado durante bastantes anos.

Opção “quando o dinheiro não é problema” – 1: Sony A7R IV + Sony 24-70mm f/2.8
Estavas à espera de uma Leica? Nada disso! Se o orçamento não for uma limitação, por cerca de 6.500€ este conjunto de corpo e objetiva possibilita uma qualidade de imagem difícil de igualar, ponto final. Superior, só mesmo uma máquina de médio formato, que para este tipo de fotografia nós não aconselhamos de forma alguma. Para fazer fotografia de viagem é necessária uma máquina robusta, ágil e com dimensões relativamente reduzidas. As médio formato não conseguem cumprir em simultâneo com estes 3 requisitos.

Opção “quando o dinheiro não é problema” – 2: Lumix S1R + Lumix S 24-105 f/4
Com funções, tamanho e qualidade de imagem muito semelhantes à Sony A7R IV, esta Lumix S1R é possível de adquirir por um preço bastante mais simpático, a rondar os 5.000€ com a objetiva 24-105mm incluída.

Então porque apresentamos estas duas opções? Ora bem, com qualquer uma das duas irás bem servido. O que as distingue então? Se fores fazer mais fotografia do que vídeo, aconselhamos a Sony. Já se o vídeo for uma prioridade, a nossa opção vai para a Lumix. Mas nota que ambas são mais do que competentes quer para fotografia quer para vídeo.

Como podes ver, quando se pensa em comprar uma máquina fotográfica é preciso em primeiro lugar pensar quanto estamos dispostos a gastar. Mas tendo sempre em conta que, se pretendermos levar esta paixão um pouco mais além, há que optar por um sistema que não nos limite no futuro. Daí termos eliminado logo à partida as DSLR, pelos motivos que já referimos. Embora as DSLR sejam ainda as máquinas mais usadas em todo o mundo e que nada têm de errado, as marcas estão a cortar nos orçamentos de Investigação & Desenvolvimento para esse tipo de tecnologia.

Existem outras marcas no mercado como Pentax, Leica, ou Ricoh. Mas para esta seleção escolhemos aquelas que consideramos mais equilibradas e mais se adequam à Fotografia de Viagem. Canon e Nikon, como já dissemos, só recentemente aderiram à tecnologia mirrorless e encontram-se vários patamares atrás em termos de oferta de objetivas. Não deixam de ser boas máquinas mas, por esse motivo apenas, excluímos desta lista de recomendações. Quem sabe para o ano podem entrar para a seleção…

Nesta pequena listagem de câmaras deixamos de fora muitas outras que poderiam perfeitamente estar aqui presentes. Quando temos de fazer escolhas, é assim. Mas diz-nos a tua opinião, utiliza o campo de comentários abaixo para colocar todas as tuas questões ou dúvidas. Teremos todo o prazer em responder. Ou então deixa-nos um comentário com o modelo de máquina que utilizas atualmente. Tendo em conta a quantidade de magnificas fotos que temos visto nos vossos blogues e contas de Instagram, ficamos com curiosidade em saber o que vocês usam! 🙂

Em breve iremos escrever um outro artigo no qual mostraremos os equipamentos que utilizamos para fotografar e filmar durante esta viagem pela Estrada Nacional 2, por isso, fica atento!

Passo a passo, de Chaves até Faro.

2 Replies to “As melhores opções para uma nova máquina fotográfica – Edição Natal 2019”

  1. Acompanhei atentamente tudo o que escreveram sobre câmaras fotográficas compactas mirrorlesse e respectivas objectivas que fiquei de facto surpreendido.
    Eu tenho uma Nikon D5000 outra Nikon mais recente a D500 é uma outra que de momento não me recordo a marca nem o modelo. É uma mirrorlesse com uma teleobjetiva fixa 24/1000 da qual gosto muito também. Tenho duas teleobjetivas Nikon
    18/200 e 18/300 é uma tamrom 150/600 e ainda uma Macron 24/100 da Nikon.
    Tenho ainda uma relíquia roleicord 6×6 que comprei em 1968. Neste momento não sei, apesar de gostar muito de fotografia, se entrarei nessa aventura. Para além do esforço financeiro que teria de fazer acresce a minha avançada idade. Agradeço o vosso belo trabalho e desejo-lhe muita força para prosseguirem. Um abraço.

    1. Caro António,
      Desde já gostaríamos de agradecer pela visita a esta nossa página! Este pequeno artigo tinha como pretensão enumerar algumas sugestões de câmaras com base na nossa experiência mas, como em quase tudo na vida, não há um certo e um errado. E a Nikon D500 é uma belíssima câmara que lhe trará muitas alegrias por uma série de anos. Já para não falar na Roleicord que, com mais de 50 anos, ainda tem certamente outros 50 pela frente. Ainda hoje em dia existem fotógrafos a fazer belíssimos trabalhos com esse género de cÂmaras de médio formato, seja a Roleicord, a Roleiflex, ou a sua equivalente mais barata, a Yashica 124G.
      A sua D500 e a 18-200mm formam um conjunto poderoso e versátil, não precisando de gastar em mais nada senão num depósito de gasóleo e percorrer a estrada. É sem dúvida uma experiência única em todos os aspectos que não só a fotografia. Toda a paisagem, gastronomia, tradições, cultura… E no final, claro, as fotografias para recordação!
      Um grande abraço e bem haja!

Deixe uma resposta